quarta-feira, 15 de maio de 2013

SINTO, LOGO EXISTO!


Para René Descartes descodificar e, posteriormente, celebrizar a frase “Penso, logo existo”, precisou, fundamentalmente, de duvidar de todas as suas sensações pois, segundo o próprio, as mesmas tendiam a enganá-lo. Dessa forma, escolheu cingir-se exclusivamente a um princípio alicerçado na certeza racionalista, onde se aufere que é no pensamento que reside a consciência de cada um. Aceito, ainda assim, e apesar de já não ir a tempo, gostaria de lhe ter perguntado se tinha sido um homem feliz após esta descoberta. Não creio. Ora, e naturalmente, o senhor Descartes que me perdoe, mas estando eu a escrever há não-sei-quantas páginas um livro sobre o poder das sensações, sinto a necessidade de, e respeitando a sua doutrina, afirmar a minha certeza experimentalista.
Nós só existimos porque respiramos, certo? Se assim é, e não creio que possas estar em desacordo perante esta afirmação, quantas vezes é que tens a mente a pensar e te lembras que estás a respirar? Nenhuma, certo? Sempre que a mente domina, as sensações desaparecem e respirar é uma sensação, é uma tomada de consciência de que que estamos vivos, logo, de que existimos. Já to disse e reafirmo, quando inspiras profundamente, a sensação é tão avassaladora no teu peito que não tens tempo nem espaço para usar a mente. E porquê? Porque a sensação é verdadeira, apenas a sensação é verdadeira e essa é a outra verdade que eu gostaria de ter dito ao distintíssimo senhor Descartes. Não são as sensações que enganam, é a mente que mente. As sensações são sempre genuínas, isentas de manipulação e profundamente conscientes, pois são elas que nos permitem desvendar e ficar a conhecer o nosso potencial total, a dimensão da nossa alma e o verdadeiro significado pelo qual estamos aqui. É claro que uma mente bem focada pode e deve optimizar tudo isto mas não é, nunca será, ela a base daquilo que somos ou a razão de existirmos.

terça-feira, 7 de maio de 2013

WORKSHOP "AGARRA O AGORA"




A entrada só é permitida a pessoas que já frequentaram o workshop "Arrisca-te a Viver" e a explicação é muito simples: enquanto que no primeiro workshop é dado espaço e tempo para buscas e descobertas, neste workshop viver-se-á de certezas, apenas de certezas.
O objetivo é simples, sair das amarras do tempo onde a mente perdura e manipula, atravessar a ponte que nos reconecta a nós mesmos e pontuar as nossas vidas com todas as sensações que desejamos.
Se é fácil? Não. Se é possível? Sim.
E uma coisa garanto, o compromisso da pessoa com o trabalho que irá ser desenvolvido durante as oito horas que terá pela frente, fará com que os seus sentidos despertem, a confiança dispare, a realidade mude e a vontade de viver exalte.
Só existe um segredo, o "Agora".

SINTO, LOGO EXISTO!

Inscrições Abertas!
Reservas: