terça-feira, 15 de janeiro de 2013

GRATIDÃO (12)



Salva pelo "Arrisca-te a Viver"!

São 15h acabo de sair de um local sagrado que me acolhe à anos, vou sempre que a minha alma me incita a solicitar Luz e um guia para o meu caminho e missão, no início em atos de desespero, agora em momentos de reflexão e gratidão pelo que sou e por tudo o que tenho.
Hoje ao sair, ainda no topo da escadaria, avisto ao longe um carro branco com letras, bem normalíssimo ou não fosse conduzido por uma pessoa que outrora foi a paixão, o príncipe encantado, alma gémea, e também a razão pelo qual pensei em desistir muitas vezes da vida e de tudo sempre que nos separávamos, já foram tantas as oportunidades, as reconciliações que  perdi a conta de quantas vezes em 5 anos tentámos, melhor, tentei, ate à exaustão viver essa história de Amor.
As mãos trémulas, o palpitar do coração a mil, o medo, um apelo interior, “vai, abraça-o, diz que estás com saudades, vai tu não vives sem ele, tu dependes dele para ser feliz, vai mais uma tentativa, vai arrisca, vai vai vai vai...”. Entro no meu carro e no banco da frente estão dois livros: “Arrisca-te a Viver” e o meu amigo e companheiro caderno rosa, onde registo memórias, conquistas e desejos. Arrisco mais um pouco e desesperadamente pego na contracapa do teu livro, um olhar apaixonado pela vida, os movimentos das tuas mãos incitam a ação que aponta o caminho para a felicidade. Em segundos ligo-me ao "Aqui e Agora", chave na ignição do carro e uma voz suave recorda "Tu és mais, Tu mereces melhor, Acredita em ti, eu nunca te irei abandonar em nenhum momento da tua vida". A velocidade aumenta e com ela a certeza de que fiz o melhor no momento em que não me deixei derrotar pela minha mente e dar voz ao ego.
Contorno a rotunda e volto ao mesmo local, bem ele já tinha ido embora, eu teria de esperar mais uma hora pelos meus dois tesouros, o Francisco e a Bárbara (que estavam na catequese),  medos à parte aquela tensão que senti deu lugar a uma respiração serena, aumentei o som do Cd que apaixonadamente tinha gravado, deixei-me embarcar numa viagem que me fez sentir viva, que me fez vibrar e apaixonar por tudo o que faço, página 108 tríade vital e tríade mortal. A melodia da música e das palavras levaram-me ao meu porto seguro, ao meu sonho, sentir e saborear a PAZ. Durante aquela hora fiquei envolvida num prazer imenso , Eu, o "Arrisca-te a Viver" e as vozes fabulosas de cantores que solfejam letra a letra e me fazem sonhar, sentir ,mesmo que acordada num simples parque de estacionamento do átrio da igreja da Sta. Rita.
Agora aqui no meu doce lar sinto que durante anos deixei-me levar pela estória que acreditei ser a minha, por pensamentos que nunca me levaram a lado algum, por medos que me fizeram cair em descrédito, por crenças infundadas que me empurraram consecutivamente anos e anos para o abismo, que me fizeram desviar da minha missão.
Estou cansada de ser socialmente correta, adoro soltar uma boa gargalhada, adoro arrancar sorrisos mesmo em momentos difíceis, adoro acreditar num mundo encantado , adoro dançar deixar que o corpo se liberte, adoro ser EU. Por mais dedos que se levantem para me julgar, por mais que me tentem mostrar o lado mau da sociedade que vivemos, dos preconceitos e julgamentos alheios, não vou deixar que nada nem ninguém tire este brilho dos meus olhos e me faça desistir dos meus objectivos.

Grata por tudo. Um abraço cheio de LUZ.

Isabel

2 comentários:

  1. Um dia (breve) talvez conte a minha estória.
    E o livro faz parte dela.

    ResponderEliminar

  2. ........com comoção, digo, estou sem palavras.
    estou sem palavras, e não é só por aquilo que acabei de ler, mas pela força das palavras que o "Arrisca-te a viver" tem..........será Gustavo que sabes...a força...que tens...que dás...a quem te lê?..........
    Obrigado Gustavo por existires!!!!!Um dia tb me deste.........hoje tb dás........e no futuro irás continuar a dar........Por tudo isto, é que um dia te pedi pra não nos deixares....Obrigado!!!!!!Ana Rodrigues

    ResponderEliminar