quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

QUANTO VALES TU?


Sobrevalorizar o dinheiro é subvalorizar os homens!
É morrer mais cedo porque o dinheiro não compra afetos.
É ser mais teso que um pedinte porque a alma não se avalia em euros.
É fingir que se está bem e que se é alguma coisa.
É um contra-relógio e uma bomba-relógio.
É a mais profunda omissão dos valores humanos.

Vangloriar o dinheiro é esquecer os homens!
É sabotar o amor.
É perder os laços, os entes, a equipa e os amigos.
É ignorar o sentido de missão.
É vender a alma e a eternidade.
É sujar as mãos, a boca, o peito e o coração.

Ser o dinheiro é inexistir enquanto homem!
É adoecer mais depressa.
É a enxaqueca, a cólica, o aperto no peito, a boca seca e a dormência.
É abortar a vida e contaminar o que dela se pode beber.
É morrer à fome do abraço, do peito com peito e do beijo sincero.
É o não ser e o nada és.

Quando vales tu?
Se assim fores, não vales nada!

Sem comentários:

Enviar um comentário