terça-feira, 11 de dezembro de 2012

AS COBRAS HUMANAS E OS ENERGÚMENOS DO COSTUME


Quem cobra é uma verdadeira serpente, uma espécie de ser demoníaco que primeiro estrangula e depois consome, que prefere impedir a vida dos outros do que viver a sua própria experiência.
Quem se deixa cobrar é um verdadeiro rato, uma espécie de hamster que prefere viver numa gaiola e depender de alguém que o alimente do que assumir a sua significância.  
Todos os cobradores são letais e inofensivos. Serpenteiam-se pelas nossas vidas de dentes afiados e veneno apurado, mas não passam de seres rastejantes facilmente pisáveis e esmagáveis, assim não lhes permitamos apoderar-se de quem verdadeiramente somos.
Todos os cobrados são parvos e ignorantes. Sobrevivem à margem da verdadeira vida e não passam de carne para canhão, de gente pronta a ser mordida, estraçalhada e engolida.
Um cobrador é um estupor, mas quem se deixa cobrar está coberto de estupidez.
Quando nascemos é-nos dada uma vida e o livre arbítrio para viver nela o que bem entendermos, certo? Se assim é, e é assim com toda a gente, ninguém pode ser o nosso senhor a não ser nós próprios, ninguém nos pode atirar à cara o que já fez por nós, exigir respostas e muito menos atropelar com perguntas.
Só te cobra quem teu inimigo é, pois a vida não nos foi dada para ser cobrada, foi-nos permitida para ser vivida.

2 comentários:

  1. Tenho acompanhado o teu trabalho e tens feito um excelente trabalho, os meus parabéns.

    Criei um blog que tem algumas coisas de motivação, ideias simples que conquistam entre outras coisas, se pudesses passar por lá e dar a tua opinião eu agradecia ;)

    Abraço
    http://euacreditoproject.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Magnifico!

    Obrigado por este texto!

    :)

    ResponderEliminar