sexta-feira, 12 de outubro de 2012

VALORIZA-TE!


"Se pensas que és o que fazes ou o que tens, estás longe de ser, verdadeiramente, alguma coisa e afirmo-o porque existe, de facto, uma enorme diferença entre o que somos e o resto. A diferença é tão gritante quanto perigosa e tão consciente como inconsciente. Quantas vezes já disseste que eras o teu trabalho ou a tua família? Que eras uma pessoa de sucesso porque tens determinados bens materiais ou que és filho deste ou daquela? Ou ainda que és a imagem que aparentas e o corpo mais apetecível do teu grupo de amizades? Tenho a certeza que já viveste, pelo menos, uma ou outra coisa deste género, mas, a verdade, é que nada disto é o que tu és e se continuares a pensar assim, garanto-te, mais tarde ou mais cedo, sentirás na pele a dor e a vergonha de um dia teres acreditado nisto.

Sempre que misturamos o que fazemos com o que somos ou quando assumimos que somos o que fazemos, e muitas vezes isto dá-se nas barbas da nossa inconsciência, corremos o risco de perder o controlo das nossa vidas. Começamos a viver à mercê de um conjunto de factores que não podemos dominar, sendo facilmente manuseados pela culpa, por marés de sorte ou de azar acabando por entregar a nossa vida ao acaso ou às escolhas dos outros. Este é o pior cenário onde podemos viver.

Acredita nisto: Tu és muito, mas muito, para além de tudo o que possas fazer.

Assim como és muito além de tudo o que possas ter, sejam bens materiais ou uma notável aparência física. O dinheiro compra e a estampa molda-se, mas tu nunca serás o valor da moeda nem a forma do teu corpo.

Tu, assim como eu, és um conjunto de valores."

in "Arrisca-te a Viver", 2012
 

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Excelente apelo à conciencialização do "SER" e não do " ter".

    Magnifico reforço para que a nossa vida assente não naquilo que ´vemos´, mas sim, naquilo que ´cremos´.

    «within»

    ResponderEliminar