quarta-feira, 3 de outubro de 2012

MEDIDAS SIM, MAS DE PROSPERIDADE!


"O problema não é, verdadeiramente, a austeridade do país, mas sim a pobreza de espírito das pessoas. São as próprias pessoas que tomam medidas austeras contra si mesmas e a desfavor dos outros, medindo-se entre si sem compaixão nenhuma ou vislumbre de solidariedade. Não se amam e medem-se, não se aceitam e medem-se, não se perdoam e medem-se.
Em casa medem-se pelos decibéis dos seus gritos ou pelo vácuo das suas iniciativas, relacionando-se por relacionar, para não magoar terceiros ou falhar com o compromisso que um dia fizeram em profunda inconsciência, pois ninguém se pode comprometer com um tempo que não existe. Compromete-te “Agora”, amanhã nunca!

Nas ruas medem-se pelo que ostentam, pelas roupas, pelas pessoas giras com que se fazem acompanhar ou pelos sítios que frequentam.

Nas estradas medem-se pelos carros que conduzem.
Nos empregos medem-se pelo lugar que ocupam.

Pobres de espírito! De que se podem queixar a não ser de vocês mesmos?
Sozinhos não têm mãos a medir com tanto disparate. Enquanto pesarem os outros, o que fazem e o que têm no mesmo prato da balança onde se encontra quem, verdadeiramente, são, nenhum poder vos será conferido a não ser o regozijo dos vossos próprios egos, meio caminho andado para a autodestruição.

Tanta austeridade só poderá ser combatida com uma profunda e massiva mudança de mentalidade.
Olhar para dentro em detrimento de olhar para fora é, na minha opinião, a única medida de prosperidade:

- Em casa mede-te pelo amor, pela tua capacidade de amar.
- Na rua mede-te pelo fascínio das pessoas, pela tua capacidade de estar atento a todas as oportunidades que elas possam representar.

- Na estrada mede-te pela tolerância, pela tua capacidade de aceitação.
- No teu trabalho mede-te pela paixão, pela tua capacidade de criar ou liderar.

Se tu mudares, o teu mundo muda. Quem caminha contigo mudará. E outros mudarão, inspirados pela vossa mudança.
Medidas sim, mas de Prosperidade."

11 comentários:

  1. Concordo plenamente! Está na hora de mudar o nosso foco de visão desviando-o do exterior para o nosso interior...e o mundo seria muito melhor...

    ResponderEliminar
  2. "Se tu mudares, o teu mundo muda. Quem caminha contigo mudará. E outros mudarão, inspirados pela vossa mudança.
    Medidas sim, mas de Prosperidade." - Mais uma profunda inspiração, para o nosso agora, este texto deveria ser um lema para cada um de nós, merece ser partilhado. Por isso tomei a liberdade e partilhei-o na integra no facebook para que chegue ao maior número possível de pessoas...está na hora de olharmos para dentro de nós, de mudarmos e inspirarmos outros à mudança. Obrigado meu querido amigo. Paz

    ResponderEliminar
  3. Bom dia Gustavo
    Concordo e assino por baixo.
    Neste momento já não suporto ouvir estas palavras:
    - austeridade
    - crise
    - desemprego

    Na minha opinião as pessoas estão habituadas a pedir, a exigir, a esperar respostas e soluções do outro. Mas fazer algo, agir, ter ideias, arriscar não o fazem.

    É fácil culpabilizar.

    Também vou partilhar no facebook este fantástico pensamento e opinião.

    Bem ajas. Agradeço por existires.

    Harmonia

    Célia

    ResponderEliminar
  4. Obrigada Gustavo por partilhares este teu sentimento, que não é mais do que um despertar de consciências em Portugal.
    Se trabalhássemos o "medir em relação aos outros", Portugal certamente curava o que para mim é uma doença nacional: a inveja!
    Esta realidade de "medir com..." esteve presente na minha infância através da família, e dou o exemplo ao nível dos brinquedos que recebíamos no Natal; esteve presente na adolescência quando os professores diziam o teu colega do lado teve melhor nota que tu e na vida profissional, quando sentia a pressão de ter os melhores resultados sem nunca ter sido realmente compensada por eles...
    O "medir com..." não foi mais do que uma crença que adquiri e que hoje em dia não faz mais parte do meu mapa mundo :)!
    Um grande beijinho e obrigada por mais este despertar!!! Certamente se aos poucos quebrássemos crenças e velhos padrões que não trazem a verdadeira prosperidade, teríamos mais próximos de sermos autênticos, aceitarmos os outros pelo que são e como tal estarmos de bem com a vida! Paz :) Andreia Lara

    ResponderEliminar
  5. Como Rainer Maria Rilke disse: "The only journey is the one within."

    ResponderEliminar
  6. :) Grata mais uma vez pelas tuas palavras. Há coisas que são inmensuráveis o Amor incondicional a humildade e a partilha e sobretudo a escolha de dar e partilhar isto tudo.
    Um abraço :)

    ResponderEliminar
  7. Concordo com tudo, Gustavo.
    Mas expliquem-me bem (a mim, pobre de espírito...) o que posso fazer contra um Governo que nos tira tudo e nada nos dá? Que (exemplo tão banal, mas simples)corta a comparticipação num medicamento, fazendo que passe de € 0,38
    em 28.09.12 para € 1.73 em 01.10.12?
    A realidade é mais cruel do que pensamos.
    EU mudo, TU mudas, mas se ELES NÃO MUDAM (e não mudam mesmo)vamos ficar calados? Abraços

    ResponderEliminar
  8. Inveja é o pior sentimento do Mundo. As pessoas não entendem que só conseguimos crescer se formos solidários e unidos . Amor e paixão pelas pessoas e por tudo o que nos rodeia é o caminho certo. Quando será que vão entender? Ainda bem que muitos de nós já estamos no bom caminho. É um prazer conhecer-te. Bem hajas. Paz e muita Luz

    ResponderEliminar
  9. "Não se amam e medem-se, não se aceitam e medem-se, não se perdoam e medem-se", dizes.
    Verdade!
    A mediocridade impera. Os verdadeiros Valores escasseiam. Há que inverter a maneira de sentir e de agir e seremos todos mais felizes.É tempo de mudar, de dentro para fora de nós...por nós, pelos outros...por uma vida com mais sentido, sem medições!

    Um abraço
    Fátima Sousa Santos

    ResponderEliminar
  10. "não existe exercicio melhor para o coração do que te inclinares e ajudares a levantar pessoas." (John Andrew Holmes).


    / IMENSURÁVEL /


    Forte abraço

    ResponderEliminar
  11. Olá Gustavo.
    Bem-haja por escolher colocar-se ao dispor da sua missão.
    As suas palavras aqui tocam mais do que um Povo em agonia.
    O mais íntimo de cada ser humano, para lá de qualquer fronteira.
    Apregoe-se a Nobreza de espirito como o primeiro e mais importante degrau.

    Parabéns pelo seu trabalho.
    Um abraço
    Fernando

    ResponderEliminar