domingo, 28 de outubro de 2012

ENVOLVE - ME


Envolve-me!
Aproxima-te nesta noite fria de madrugada rija e eleva-me aos trópicos do “Agora”, de volta a casa e a mim. Dá-me a mão e vem comigo.

Envolve-me nesse abraço quente que me deixa a mente dormente e o corpo impaciente. Ata os teus dedos nos meus, tricot de ternura, desliga os olhos e deixa-os ganhar vida até que a paixão os esmague uns contra os outros.

Acorda e deita-te comigo, espalha as mãos pelo meu corpo, torna-o teu, e revitaliza-me com o calor dos teus lábios para que o outono da minha boca possa voltar a sentir os graus do verão.
Envolve-me no édredon que é a tua pele para que eu não sinta mais a solidão da tua ausência. Descompõe-me na métrica das tuas palavras, versifica-me e depois despe-me com a audácia da tua prosa. Nua, despida como vim ao mundo, pronta para renascer e dançar, ainda que o único som que ressoe entre nós seja o eco de um gemido recente.

É tão bom quando sou tua. É quando sou mais minha.

Envolve-te com a humidade das minhas paredes e escorrega até mim. Ama-me, come-me ou simplesmente fica. Que bom é sentir o teu norte, que privilégio é ver-te desnorteado. Mais um beijo, cascata de saliva, mais um esgar de prazer. Ali ficamos.

 
Adormecemos, sem que nunca tenhamos dormido, pois o desejo não permite tal veleidade entre corpos apaixonados e, sem piedade ou temperança, pune-os com mais prazer. Restos de deleite são, então, expulsos dos ventres e a calma retoma.
Envolve-me na penumbra desse olhar fugidio, cúmplice e verde, ainda que o azul do céu ameace estourar com os estores da janela e transforme a nossa intimidade em dia. Olha mais uma vez. Grava-me. E outra. Fotografa-me. Acabou. Está na hora de voltar ao tempo.

Adeus.

3 comentários:

  1. "Não foi à toa que Adélia Prado disse que “erótica é a alma” ...

    ResponderEliminar
  2. Amei. Adoro o blog, a eescrita. Parabéns

    ResponderEliminar