domingo, 21 de outubro de 2012

A"PESSOA"-TE


Reza a minha história que o reencontro das almas não pressupõe lógica e muito menos hora marcada. Por vezes, basta um dedo tocado, uma palavra perdida, uma fotografia ao longe, um silêncio ou a cumplicidade de um sorriso para despoletar toda a magia em que acreditávamos quando éramos crianças. O amor é, imediatamente, a seguir.

Sou apaixonado por pessoas. Descobri esta minha paixão com o avançar dos anos, da experiência, mas, acima de tudo, com a minha curiosidade e com a minha tremenda capacidade de entrega. Não há forma de conhecer, verdadeiramente, alguém e de identificar uma alma se não houver uma entrega mútua, uma sintonia conquistada. É apaixonante assistir aos diferentes momentos de cada um, desde a vulnerabilidade à convicção, do riso às lágrimas e do medo ao prazer da paixão e do amor.
Sim, entreguei-me a muita gente e das mais variadas formas. Com algumas recordei tempos ancestrais, é maravilhoso quando se está com alguém e não sentimos necessidade de explicar a nossa maneira de ser e de estar ou os nossos silêncios, com outras, enfim, aventurei-me, ri e chorei, aprendi sem nunca desaprender, ainda que por vezes tenha doído.   

Identifico, nas pessoas, um outro aspecto que me comove e que me eleva o elogio. Sempre que duas pessoas dão a mão, e agora não me refiro a gente apaixonada que caminha pela praia mas sim ao laço que a partir desse momento as une, algo está para nascer. Algo com uma força maior, capaz de conquistar mais em menos tempo, uma luz mais intensa, capaz de alumiar os mais desesperados, e uma onda de ação, capaz de monopolizar mais e mais pessoas rumo a um objetivo. Uma mão dada pode gerar um imenso cordão humano e nada tem tanto poder como um conjunto de gente com os mesmos valores e as mesmas convicções. Apaixona-me esta capacidade que nós temos de mudar a história do mundo, de contribuir para com as vitórias dos outros, de assistir ao que já inventámos em prole da nossa espécie e como temos progredido enquanto parte de um todo. Já imaginaste quantas pessoas têm sido ajudadas e dirigidas porque um dia tu ou alguém que conheças decidiu dar a mão a outro alguém, juntar forças e agir? É maravilhoso.

in "Arrisca-te a Viver", 2012




 

1 comentário:

  1. muito bonito, tu pões alma no que escreves, não te conheço pessoalmente mas deves ser uma pessoa incrível...
    parabens gonçalo

    ResponderEliminar