sexta-feira, 21 de setembro de 2012

PARALÍMPICOS

Os Paralímpicos não são atletas com necessidades especiais, são pessoas com capacidades especiais. É diferente. Ou olhas para o que eles precisam ou vês o que eles conseguem. E conseguem. Conseguem tanto. Mais do que tudo, conseguem ser gratos. Gratos pelo que têm ainda que tu tenhas mais do que eles, gratos pelo que podem ainda que tu possas mais do que eles, gratos pelo que são, inteiros ou não....
São gratos e é por isso que conseguem. Isto diz-te alguma coisa? Num ponto somos todos iguais, somos todos almas com uma missão pela frente. A deles é inspirar superando-se todos os dias e a tua? Sabes quem és tu e o que andas aqui a fazer cheio de saúde? Se “sim”, tiro-te o meu chapéu e reconheço-te pelo mérito do que já alcançaste, se “não”, começo a pensar que, de facto, existem pessoas com necessidades especiais. Esta gente de elite prova todos os dias que o corpo se reinventa e que nada é impossível, portanto, e nesse ponto de vista, ainda que com diferenças cabais, todos somos capazes de tudo desde que o queiramos, agora, no que diz respeito ao carácter não existem adaptações que possam ser feitas. Ou tens ou não tens. Ou és um lutador ou és um ingrato, pois se até um amputado corre e nada mais rápido do que tu e se alguém com paralisia cerebral consegue sentir e conquistar mais do que tu e tu nem pensas nisso e isso nem te inspira a ser melhor, é porque, de facto, não há motivo nenhum para aqui estares. Consegues sentir o que te estou a dizer? Se não conseguires, deixo-te uma sugestão: inscreve-te nos próximos Jogos Parvolímpicos. Pode ser que conquistes alguma coisa. Escuta, em alguma coisa hás-de ser bom.
Parabéns a esses tremendos guerreiros. A minha sentida e merecida homenagem.
Obrigado.

Sem comentários:

Enviar um comentário