domingo, 30 de setembro de 2012

GRATIDÃO (5)


"São inspiradores os teus "post" diários, mas é no blog " que encontro " a serenidade, a paz . Mergulho, refugiu-me nele e aí permaneço em reflexão. Cada texto relembra-me um pouco de vida vivida. Se me permites ao "e tudo um segundo pode levar...", eu acrescento mudar, trazer felicidade. De louca talvez fosse apelidada por alguns mas... senti naquele dia 31 de Janeiro de 2009 ao sair sózinha e ilesa de dentro de um carro capotado, a poucos metros de uma ravina, após "brutal embate, seguido de capotagens", uma imensa serenidade. Senti que fui intencionalmente "atirada", que era um "acorda", "uma oportunidade". Sim, andava distraída pela estrada da vida. Estavam reunidas todas as condições para que um segundo me levasse mas, entre o cá e o lá senti renascer uma enorme gratidão, uma força que me enraizou de novo. Tudo se reforçou!!! Arrisquei -me a viver...
Com alguma estranheza as pessoas me ouvem dizer que só faço o que quero, estou onde quero e com quem quero. Assim tem que ser porque assim escolhi que fosse.
Que TRANQUILIDADE , que PAZ .
Se aquele segundo me tivesse levado, tanto tinha ficado por fazer, tanto tinha ficado por dizer, por viver, no verdadeiro sentido da palavra. Perdi o medo da morte e quando se perde este, os outros não existem mesmo. Ganhei de novo o direito ao sonho e, quando se ganha este, tudo faz sentido.
My own life.
Comecei então sózinha, desapegada e em silêncio o meu novo caminho. Aquele que inclui dizer "bom dia ,dia", todos os dias; aquele que inclui valorizar cada pequena coisa como se da maior se tratasse; aquele que me permite dizer um "sim" ou um "não" com a mesma facilidade; aquele que não me cala um "amo-te" que seja incondicioal. Agora tudo faz sentido: o percuso ,o aqui ,o agora , o que deixei lá atrás, os que saíram, os que chegaram, a tua presença.
Transcreves verdadeiros hinos, elevas dignamente a paixão, a fusão dos corpos e das almas de uma forma tão real que se consegue ver, ouvir, cheirar e sentir... intensamente...
Seguro firmente a mão para que não me saia de imediato um comentário e fico pelo "meu sentir"...
No dia do Workshop "Arrisca-te a Viver", fui assolada pelas mais variadas emoções e percebi que afinal tinha que voltar ao livro. Nem tudo estaria "bem resolvido". Lembras-te que antes de sair te disse que, quando nos voltássemos a encontrar mais mudança teria ocorrido? Pois meu querido ,a noite foi de reflexão, reli o que me escreveste, olhei-me no espelho e para dentro. O domingo foi de atitude. Senti alguma dor, cansaço, mas hoje estou mais feliz ainda."

Ana 

1 comentário:

  1. Mais um belíssimo testemunho da mudança que "atiças" a quem te segue.
    Também eu estou em mudança, assim como a Ana só faço o que quero, estou onde quero e com quem quero. Assim tem que ser porque assim escolhi...Obrigado pela partilha

    ResponderEliminar