quinta-feira, 27 de setembro de 2012

EU CONSIGO, E TU?

Não posso vencer o teu medo, mas consigo demonstrar-te o tamanho do amor; não posso pôr um paraplégico a andar, mas consigo fazê-lo acreditar que existem inúmeras paixões que podem ser vividas numa cadeira de rodas; não posso acalmar a revolta de um injustiçado, mas consigo falar-lhe sobre o perdão; não posso mostrar o mundo a um cego, mas consigo fazê-lo viajar pelo mundo dos afectos; não posso obrigar-te a usar todo o teu poder, mas consigo salientar tudo o que há de tão especial em ti; não posso mudar a tua vida, mas consigo provar-te que podes mudá-la.
E tu, o que é que consegues fazer por ti?

1 comentário:

  1. ... grata Gustavo, por (re)lembrares, por retratares, ou até por leres e transcreveres os meus loucos pensamentos, sim porque até parecia, por momentos congelei de baralhação.
    Muito Grata :)
    ...e sim... continuo a seguir-te a ler-te por aqui.
    Um beijinho e um abraço
    Susana Godinho Antunes

    ResponderEliminar